sábado, 16 de agosto de 2008

 

Em directo de umas férias absolutamente fantásticas!

Ora as minhas férias iniciaram-se com a celebração dos 60 anos da minha mãezinha. Fiz-lhe uma surpresa "daquelas" que a deixou feliz e a mim também por vê-la assim! PARABÉNS MÃEZINHA! És uma fortaleza! Logo aí passeiozinho à maneira com direito a pernoita e tudo.

De regresso à minha casinha...

(Não sei se já partilhei isto, mas dou muito valor à minha casinha! Não é uma daquelas casas de sonho que custam para cima de um dinheirão, mas é a MINHA casinha. Aquela com que me alegro cada vez que revejo. Aquela em que o sol bate no ângulo certo tornando-a luminosa e alergre. Aquela que me dá um tecto e umas quantas paredes que temos sabido encher de felicidade. De cada vez que retorno a casa, o peito enche-se-me de orgulho e de alegria porque sinto e porque sei que este é o meu LAR)...

...Foi só o tempo de arranjar as coisas para partir para a bela vila alentejana das 1000 fontes. Há uns anos que lá não ia e foi muito muito muito mas mesmo muito bom voltar! Estava cheia de vida a vila, não apenas de simples veraneantes mas também de festivaleiros. E nós meus amigos, também o fomos este ano. Ora bem, não fomos daqueles à séria que acampam lá e tudo mas temos uma ou outra peripécia que temperaram a ida até à Zambujeira do Mar.

O plano estava bem delineado. Passávamos o dia na praia da Zambujeira e à tarde, por volta das 17h iniciaríamos o percurso que nos levaria à Herdade da Casa Branca. De manhã ao escolher o sítio para estacionar uma ruazinha estreita e sossegada pareceu-nos o sítio perfeito para mais tarde nos mudarmos para ir ao festival. (O banho de água doce não estaria incluído no programa por falta de condições e de paciência para esperar pela vez nos balneários públicos).
Prainha o dia todo e umas quantas cheiradelas em ganzas alheias depois, o dia assim se passou entre banhos de água gelada e banhos de sol escaldante. Era chegada a hora. Seguimos para a "nossa" ruazinha privada que nos permitiria trocar em sossego. Sacamos das toalhitas refrescantes PINGO DOCE (E não passo a publicidade. O PD é mesmo o meu supermercado de eleição e os produtos marca própria são fabulosos e económicos. E não, não tenho comissão. Sou mesmo uma consumidora pura e fiel) e enquanto um as passa pelas axilas, o outro já está na manobra de trocar a parte de cima do bikini por um soutien sequinho e cómodo 100% algodão (podem facilmente inferir quem se encontrava na bela manobra que envolvia maminhas, não muito grandes é certo, mas ainda assim maminhas a precisar de algum apoio...eh eh) eis que...

... PPPPPPAAAAAAAAAAAAMMMMMMMMM.....


Acidente, no cruzamento da ruazinha sossegadinha. E o que até então era uma rua deserta virou um festival de pessoas à janela e a acorrerem à rua, polícia inclusivé para tomarem conta da ocorrência. Uma das envolvidas chegou mesmo a vir até ao nosso carro estava eu ainda com um cotovelo preso na camisolinha de alças (portanto de soutien ao léu) para colocar o triângulo... A verdadeira discrição portanto. Nós ríamos que nem uns perdidos enquanto punhamos o desodorizante o mais descontraidamente possível perante os desgraçados que acabavam de ver as suas férias senão estragadas, pelo menos perturbadas.


Mas se julgam que a aventura acabou aqui, nem pensem nisso. Aqui os "bons", não fazem mais nada e decidem que o mais ajuizado é deixar o carro uma vez mais na ruazinha sossegadinha e seguir para o festival nas camionetas que levavam os festivaleiros da "Zâmbia" para a herdade e vice-versa. Perguntámos a que horas era o último autocarro para lá e a que horas seria o regresso. 9h, 10h disseram-nos. 21h / 22h pareceu-nos bem. Entrámos no dito quando chegou e antes de sairmos para o festival o meu parceiro resolve confirmar junto do motorista. Sim 9h / 10h da manhã estamos aí. Da manhã? Da manhã???? Como é que nos fomos meter nesta?!!! Acreditar que havia "carreira"... eh eh eh eh. Estávamos decididos a regressar a pé o que seria sem sombra de dúvida cerca de hora e meia a andar bem... Por meio de vegetação e de uma estrada na mais completa escuridão. Acabou por não ser preciso. Saímos, sem esperar pela Vanessa da Mata (esperava-nos uma longa caminhada) e ouvindo sempre vozes celestiais um TAXI, apenas um, esperava por nós!
Agora os concertos que se localizam no meio da aventura anterior: gostámos. Foram bons concertos. O senhor David Fonseca está uma autêntica estrela, cheio de truques e surpresas mas sou suspeita para falar porque lhe acho alguma piada. A Brandi Carslile (não sei se é assim que se escreve e não me está a apetecer ir ao google agora...) é um amor, de uma simplicidade maravilhosa e dona de uma voz magnífica. A música "The story" é realmente daqueles acontecimentos felizes. Toca-nos e a superbock teve olho ao incluí-la no anúncio. Os Melee estiveram bem mas quase não tinham público. Ainda assim não esmoreceram e actuaram como se, se deparassem com uma multidão o que denota profissionalismo.

Mais apontamentos sobre o festival... Eram só miúdos de 15 anos. Senti-me mãe deles todos e interrogo-me se já não terei idade para estas andanças... Continuo a adorar festivais. Uma das experiências mais giras que tive foi em certo ano que resolvi ir a Vilar de Mouros com a minha prima (QUE HOJE FAZ ANOS! PARABÉNS MINHA LINDA E ATÉ LOGO!!!!!!!!!!!!!) e acampámos junto ao rio. Foi lindo! Levantavamo-nos de manhã e pimba mergulho nas águas límpidas do rio! Fantástico. Capta-se o verdadeiro espírito destes festivais ficando no local acampado. É uma experiência inesquecível. Assim como ir à casa de banho nesses festivais, também é inesquecível mas infelizmente por motivos bem mal-cheirosos e visualmente aterrorizadores...

De momento ainda me encontro em férias, saboreando cada dia, aproveitando cada momento. Ainda não tive momentos mortos em que me desse vontade de regressar ao "batente". Estou muito bem assim! Que ricas e merecidas férias!

Comecei a ler "A LUZ EM AGOSTO" de William Faulkner depois logo dou um daqueles meus "bitaites" acerca da escrita e acerca da história...

Espero que estejam todos tão bem ou melhor do que eu!
Até breve!

Deia still on vacation!

Etiquetas: , ,


Comments:
Adorei a tua descrição das férias mais que merecidas. Gostei sobretudo do pormenor do soutien e das maminhas. eehehehhehe
Espero que o resto das férias continuem a correr de feição. Eu vou no final do mês para dois locais de sossego, descanso e paz total! Que também mereço!
Beijinhos
 
Obrigada linda! Vilar de Mouros, belos tempos! Foi uma imensa sorte termos apanhado aquele lugarinho, mesmo ao pé do rio!!!;) Muitos beijinhos (já me ri um bocadinhos com as tuas histórias!!!lol)
 
Boa vida sim senhor ;)
Depois quero ouvir essas histórias ao vivo amanhã. E aposto que andaste a mostrar as mamas ao pessoal que iam passando... Tu és dessas!

Beijos.
E parabéns à prima!
Se não tivesse um exame qualquer também tinha ido gritar 'ALANES, ALANES, tira a mãozinha do bolso!'
 
Bjinhos aos 3. Era uma rica vida mas acabou-se... Por enquanto! :)
 
Obrigada Hugo! ;) Prima: não fiques triste... Pensa nas que viram lá mais para a frente. Pensa que já não dá para ir à praia (pelo menos aqui pela Costa) porque 1º Marés vivas, bandeira vermelha, logo, não se pode ir ao banho. 2º Maré alta à tarde, o que significa que não existe sequer areal para colocar a mais pequena toalhinha. Ah! Já para não falar do vento insuportável que se levanta por volta das 16h, que provoca uma irritação que por mais que resista, vence sempre... Bjs
 
Ups... "Virão" - futuro. eh eh
 
Pois é prima não tardam aí mais uns diazitos! E eu até sou uma moça "trabalhadeira"! Bjinho gd
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Website Counter
Free Counter