quinta-feira, 8 de novembro de 2012

 

OBRIGADA AO RUI ZINK

SE NUMA NOITE DE INVERNO UMVIAJANTE – ITALO CALVINO - NA GERAÇÃO C

E se um livro fosse capaz de vos agarrar pelos colarinhos da alma, com o ímpeto da primeira página de um romance sublime, desde o início até à linha derradeira?

Eis “Se numa noite de Inverno um Viajante” de Italo Calvino (1923-1985). O protagonista é o Leitor – Nós, portanto. – que por dez vezes principia(mos) a leitura de histórias de diferente autoria. Calvino incute-lhe(nos) a paixão do começo e rouba-lhe(nos) a progressão, introduzindo sucessivamente novas narrativas, apresentadas das mais insólitas maneiras. Por exemplo, no primeiro houve erro na encadernação pelo que chegado(s) à página 32 retorna(mos) à 17 e às subsequentes, que se repetem até ao fim do volume. Há que regressar à livraria, reclamar e trocá-lo por outro que não se encontre defeituoso. Porém, o livreiro informa que houve confusão na gráfica entre o romance que o Leitor lê e outro de um autor Polaco. Ora esse novo dado leva-o a desejar prosseguir com este, ao invés do primeiro em que pegara. Assim se realiza viagem alucinante sendo a curiosidade espicaçada à exaustão.

Esmorece o Leitor ante semelhantes vicissitudes? Pelo contrário. É enleado na(s) trama(s) perdendo-se nas díspares realidades, hesitante quanto ao fio condutor a perseguir. A descoberta mais recente parecer-lhe-á sempre mais apelativa e avançará nesta aventura literária com o premente desejo de chegar a um qualquer desenlace que o apazigue.

Cada promessa de obra é vício cujo desfecho será diverso consoante os olhos que a consumam. Quem congeminou esta emboscada? O tradutor Hermes Marana? Autor destes romances apócrifos, com objectivos obscuros?

Muitos livros ainda me aguardam na estante, nas livrarias ou bibliotecas mas asseguro-vos: este será, certamente, um dos mais originais que vos passará pelas mãos.

Os dez títulos que o compõem dariam um belíssimo começo de outra história como nos é sugerido na página 298: «Se numa noite de Inverno um Viajante», «Fora do casario de Malbork», «Debruçando-se da escarpada falésia» «Sem temer o vento e a vertigem», «Olha para baixo onde a sombra se adensa» «Numa rede de linhas que se entrelaçam», «Numa rede de linhas que se intersectam» «No tapete de folhas iluminado pela lua» «À volta de uma cova vazia» - “Que história lá ao fundo espera o fim?» - Pergunta, ansioso por ouvir a história. Serve também a brincadeira para vos enunciar os dez romances que vislumbrarão. Nada mais adianto. Este livro é obrigatório.

195 BPM – Para quem vive apaixonadamente a Leitura, concebendo a dor inerente à Escrita, que nos dá uma lição preciosa sobre Literatura. Adquirir (Perguntem ao Senhor Teste se ainda o tem! - http://senhor-teste.blogspot.pt/) Sugerir a leitura a todos os amigos.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Website Counter
Free Counter