quinta-feira, 28 de agosto de 2008

 

Por falar em afastamentos (mas dos que não me fazem sofrer)

De cada vez que vou (Nota: tenho de ir por força de circunstâncias alheias à minha vontade) à missa relembro porque é que desde muito cedo aquilo pouco me disse. Tendo em conta que sou uma perfeita ignorante no que concerne ao conteúdo da Bíblia, mas sabendo que contém algumas das mais belas histórias contadas, ainda assim, não entendo o ritual. Não entendo porque é que as pessoas ainda vão a uma igreja ouvir um padre (secalhar tenho tido azar com os sacerdotes que apanho) apontar-lhes o dedo com ar ameaçador e dizer-lhes "arrependam-se porque pecaram". (Ainda ontem... Me apontaram o dedo assim. E eu penso. Espera aí. Oh amiguinho... Quem te conferiu esse poder? Ora eu não fui... Deus deve andar ocupado... Por isso... Náaaa. Vou deixar-te falar...Mas não estou a ouvir...) E já agora o que é isso do pecado? É o que entre o "bem" e o "mal" consideramos "mal"? E agora entra em campo a minha contradição costumeira. Eu sou uma pessoa crente. Sou uma pessoa que acredita ter um anjo-da-guarda e que fala com Deus. Peço-lhe ajuda. Agradeço as bençãos na minha vida. Peço protecção para os meus. Interrogo-O sobre certos assuntos, chegando mesmo a contestá-Lo e a duvidar da Sua Existência em certas e determinadas matérias. (Isto está vago mesmo de propósito...) Já me zanguei com ele e virei-lhe as costas. No presente encontro-me a meio caminho entre um estado e o outro. Por miúdos, assunto a tratar com Deus, trato com ele directamente obrigada. Não reconheço ao senhor padre a capacidade de me perdoar ou de me absolver dos meus "pecados". Não consigo conceber um intermediário numa relação que quero próxima. Eu sei que a fé pode até ser um artefacto que arranjámos para as horas de desespero. Eu sei. Ainda assim eu tenho-a e acredito Nele. Já pelos seus pastores não nutro tanta simpatia e as hipocrisias com que se formatam as mentes repugnam-me.

- Não se pode usar preservativo?
- Relações sexuais só para procriar?
- Relações sexuais apenas no matrimónio?
- Divórcio nunca?
- Aborto nunca? Mais vale que as crianças sofram é isso?
- A mulher é para ficar em casa a coser meias? (Verídico. Ouvi num sermão há cerca de 2 anos)
- Os padres não podem casar?
- A sumptuosidade e o fausto do Vaticano?
- O desejo é pecado? A libido é pecado?
- Os meus pensamentos devassados?
- Homossexualidade é doença?
- Entre tantas outras coisas com as quais não me identifico minimamente...

Sim a ideia pode ser boa. O apoio. A comunhão de um espírito de abnegação e bondade. O pior é que nem sempre é para isso que serve. O pior, é que se pensa que por ir à missa e rezar muito, confessar e comungar. Se pode depois vir durante a semana cometer as maiores atrocidades. Porque há um Domingo redentor.

Não se pode negar que as maiores atrocidades são cometidas em nome dos Deuses das várias religiões. Não se pode negar que houve inquisição. Quer-me parecer que há ainda. Não se pode negar que ainda hoje há pessoas, "pastores", que se servem dos serviços religiosos para impor uma ideologia do MEDO. E as pessoas com medo fazem o que terceiros querem sem contestar. Não... A mim as religiões não convencem por aí além. Sou fiel à minha fé. Àquilo que considero certo do meu ponto de vista. Mas não acho que o meu caminho seja o certo ou o único a seguir. Cada um deve ser aquilo que achar melhor. E para mim o melhor mesmo é falar com Ele directamente.

Acredito que tudo de bom e de mau que fazemos nos é devolvido. Agora. Não depois de morrermos. É agora o nosso Inferno se o merecermos. Não depois. Rodeado de fogo. Há lá fogo pior que o que arde cá dentro quando sinto que errei? Não.

Esta é a minha opinião sobre a(s) religião(ões). Eu que por norma não discuto nem isto, nem política. (Porque de política não pesco, nem quero pescar nada... Chamem-me calona...)

A minha vida, vivo-a por intuição, pela minha sensibilidade, pelos meus olhos, pela noção que tenho da minha realidade. É à luz disso que emito as minhas opiniões e nada mais.

Etiquetas:


Comments:
Cada um sabe de si e o Diabo de todos.
 
Eh pá espero que o Diabo se esqueça de mim... Embora eu tenha um servo dele de vez em quando à perna a chagar-me o juizo... Nada que uma boa dose de indiferença não cure. Obrigada pela visita rb.
 
"tenho de ir por força das circunstancias alheias á minha vontade)esta é uma frase forte.
Olha eu cheguei pela primeira vez aqui e desta vez não vou comentar o teu post,porque é um assunto que me irrita solenemente,pela hipócrisia e porque considero que um dos flagelos do mundo inventados pelo homem são precisamente as religiões.Acho que acabei mesmo por comentar!!
 
Quando me refiro á hipócrisia refiro-me ás religiões e seitas que andam por ai!!!
 
Conde tb me parece que acabaste por comentar o post. Eh eh eh. Bem vindo ao meu blog. Realmente as religiões servem muitas vezes para justificar actos injustificáveis... Infelizmente usam-se boas ideias para fins dúbios... Obrigada pela visita.
 
PARECE QUE ADIVINHEI O TEMA DO PROVA ORAL DE ONTEM... SPOOKY!
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Website Counter
Free Counter